Espondilectomia Parcial

Indicado para acesso ventral ao Forâme Vertebral e a descompressão da Medula Espinhal.
Este acesso acesso também é conhecido como Descompressão Ventral ou Descompressão por Slot Ventral.

Vantagens:

  • Pouca dissecção de tecidos moles.
  • Acesso rápido.
  • Mínima manipulação de tecido nervoso.
  • Tempo operatório curto.
  • Rápida recuperação do paciente.

Desvantagens:

  • Pequeno acesso ao forame vertebral.
  • Pode ocasionar instabilidade vertebral.
  • Danos aos vasos vertebrais.

Preparação

  • Posicionar paciente em decúbito dorsal.
  • Depilação da àrea a ser incisada.

Incisão

  • Incisar a pele na linha mediana ventral desde a Laringe até o Manúbrio.
  • Incisão do músculo Platisma e tela subcutânea para expor os músculos Esternoióides.
  • Separar os músculos esternoióides (dissecção romba) ao longo da linha mediana e afastá-los lateralmente para expor Traquéia e Exôfago.

Procedimento

  • Deslocar traquéia para a direita do plano mediano.
  • Deslocar esôfago para a esquerda do plano mediano.
  • Identificar o músculo Longo do Pescoço.
  • Após exposição do corpos vertebrais, retirar o ânulo fibroso como na Fenestração de Disco Intervertebral.
  • Utilizar motor de média à alta rotação e brocas diamantadas.
  • Não ultrapassar 1/4 do comprimento de cada vertebra.
  • Retirar o Ligamento Longitudinal Dorsal para exposição da medula espinhal.

Síntese

  • Reposicionar o músculo Longo do Pescoço sobre os espaços intervertebrais.
  • Reposicionar esôfago e traquéia.
  • Suturar a linha mediana entre os músculos esternoioides.
  • Músculo Platisma e tela Subcutânea são fechados em uma única camada.
  • Suturar pele.